A “Asas de Ferro”, primeira equipe de robótica avançada do PRESBI, participou pela primeira vez do Torneio de Robótica FIRST LEGO LEAGUE (FLL), que aconteceu no mês de abril na cidade de Betim (MG).

E todo esforço da Equipe foi recompensado. Eles voltaram para casa o Prêmio Adversidades, o reconhecimento para a equipe que superou obstáculos desafiadores durante a competição. Participaram da competição os alunos Daniel Ricarte Almeida (1ª série), Gabriel Sulz Saunders (2ª série), Isaac Gonçalves Coelho (7º ano), Maria Clara Lopes dos Santos (8º ano), Nathália Rodrigues Cardoso (1ª série), professores Douglas Queiroz e Fernanda Lopes. Participam ainda da equipe os alunos João Pedro Cunha Gomes (3ª série), Lara Bacelar Tardani (7º ano), Marina Kellen Souza Ferreira Ramos (1ª série) e Yan Vidal Cabral (2ª série), que trabalharam no projeto, mas este ano não foram ao Torneio.

Em 2019, quando foi inaugurada a sala GoMaker e firmada a parceria com a LEGO Education Academy, o colégio vislumbrou grandes objetivos com o projeto de Educação Tecnológica. Um deles era preparar uma equipe para representar o PRESBI em competições de robótica. Sonho que tornou-se realidade em 2022.

O que é o FLL.

O Torneio de Robótica FIRST LEGO League (FLL), desafia estudantes de 9 a 16 anos do Brasil e do mundo a buscarem soluções para problemas do dia a dia da sociedade moderna. A competição acontece em duas frentes: 1) A prova de robótica que envolve utilizar princípios de engenharia para criar e programar um robô capaz de cumprir várias tarefas no tapete de competições; 2) A proposta de solução para um problema ligado à temática do evento. O tema do FLL 2022 é o “Cargo Conect”, focado no desenvolvimento de projetos ligados ao transporte e logística.

Para a FLL 2022, a equipe Asas de Ferro criou um aplicativo para ajudar pequenos e médios agricultores a dar vazão aos produtos comercializados em feiras livres. A equipe iniciou a preparação para a competição ainda em 2021, realizando pesquisas e estudos aprofundados sobre o tema, conversas com profissionais e também uma visita técnica a uma indústria de embalagens localizada no Distrito Industrial da cidade. Foram meses de muito trabalho e treinamento exaustivo no tapete de obstáculos para que a equipe chegasse ao FLL na melhor performance.